Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

Late in the afternoon

Me sinto perdendo todo mundo, aos poucos. Será que é isso mesmo? Ou será que estou me perdendo, dia após dia, não sabendo mais quem eu sou? Por mais que o auto-conhecimento tenha sido a palavra do ano. Sinto que tudo escorre pelas minhas mãos, que qualquer coisa que um dia sequer soube,  quis ou fiz desapareceu, desintegrando-se na minha frente, para me ensinar algo. Mas o que é? Quanto mais eu olho menos entendo. O que devo tirar de tudo isso? Que nada me pertence? Que eu não pertenço a nada, lugar algum? Que devo ser só (veja bem, só e não solitária), independente de tudo, todos e qualquer coisa? Quero ter fé, mas já não sei mais no que. Para que. Continuo seguindo, vagando, meio moribunda, sem direção. Ou melhor, em direção ao fim, já que este é inevitável.  Pra que tudo isso?

Nem parece que foi ontem

Depois de muitos meses sem nos falar, resolvo ir até sua casa, para uma visita inesperada. Quem me recebe à porta é a sua mãe, com um sorriso gostoso e braços muito abertos, que me envolveram num abraço que só ela consegue dar.

Ando da sala até os quartos, subindo as escadas, onde cruzo com seu irmão gêmeo. Esse, surpreso, me chama de canto para conversar.

- Você sabe que ele tem namorada, né, Di?

Fiquei aturdida com a notícia e saí tempestivamente ao seu encontro. Ricardo - seu irmão - correu atrás de mim, com a intenção de me acalmar e quem sabe até me impedir de falar contigo daquela maneira. Te encontro no quarto, de pé e de costas para mim.

- Rafael, - digo numa voz trêmula que não se decide entre felicidade em vê-lo ou de ódio pela nova companheira - que história é essa de você estar namorando? Quem é? Há quanto tempo? Poxa, pensei que fossemos ainda amigos, afinal. - As palavras saiam meio atropeladas.

- Não quis te contar para não te magoar, Di.

Balbucio mais algumas coisas e …

Pedra - e suas duas histórias

Sentados numa pedra, depois de um dia inteiro de nadar no mar e procurar conchas, ele tira do bolso um anel de coco e me pede para ser sua namorada. Apenas sorrio e o beijo, em sinal de sim.

Brincávamos pelas pedras, pulando, correndo e andando por elas, de mãos dadas, até acharmos uma onde deitamos e o mar não nos atingia. Fomos felizes.

[Textos Semanais] Olhares

Todos os dias ele me olhava. Com aquele olhar que mesmo depois de anos juntos eu nunca soube direito o que eles queriam dizer. Aquele que ele já me fitou durante horas enquanto eu estava concentrada em algo, aquele que ele lança em mim todas as vezes que estou falando sobre algo que me estressa.

Às vezes o olhar era diferente. Como se eu fosse a melhor mulher do mundo apenas por existir. Nunca entendi esse. Nem o olhar muito menos o sentimento. Como posso ser a melhor mulher do mundo com tantas outras por ai? Não pode ser verdade. Mas gosto de ouvir mesmo assim.

Outras vezes quem o olha sou eu. Sou capaz de encara-lo por horas, com os mais diferentes tipos de olhares. Alguns que às vezes nem percebo ou sequer entendo. Como aqueles que faço quando ele está junto dos amigos dele, rindo, e eu mais afastada, só olhando. E me sentindo bem. Talvez feliz pela felicidade dele, de fazer parte daquilo.

Ah como gosto quando ele me lança um olhar sedutor. Sou incapaz de resistir. Ainda mais quando…

[Textos Semanais] Pela madrugada / Guess who's back?!

E depois de muito tempo, resolvi voltar a escrever os textos semanais! 
Ainda estou pensando se compensarei pelas semanas que não escrevi texto algum (já contei, foram 8 semanas de puro hiato) mas provavelmente tentarei compensar sim!
Aproveitem! --- Pela madrugada Sob uma luz esmaecida de pisca-piscas há muitos anos usados, ela estava na sala. Pensava sobre o mundo, principalmente sobre o mundo que há dentro dela. Todas as historias vividas, imaginadas e os planos para as que virão, misturadas entre si. Toma um gole de seu chá. Já não esta mais tão quente mas ela até prefere assim. Lili passa por ela e a acompanha com o canto dos olhos, enquanto anda desconfiada pela sala. Não fica muito interessada em nada e logo volta exatamente como veio, silenciosa. A música nos fones de ouvido a agrada, uma banda espanhola nova que descobriu na noite anterior. Uma mistura de MPB com folk, caia bem com o tipo de noite que fazia. Queria ter alguém com quem conversar.
Olha pro relógio e pensa no q…

[Textos Semanais] Pequenos textos (que eram pra ter sido postados na semana passada)

Resolvi escrever vários textos pequenos essa semana. Divirtam-se! Partida Inspirado na música Maps, por Yeah Yeah Yeahs (letra)
Estou fazendo as malas para a minha próxima viagem. Aonde vou? Onde sou as pessoas querem me ver. Onde sou querida pelo que faço, pelo que sou. Sei que já me afastei demais. O bastante. Ah se você dissesse... - Espera. Para um pouco. - Não tenho tempo, tenho que continuar a arrumar a mala. Não posso esquecer nada... chaves, iPod... – disse enquanto andava pela casa, procurando e pensando no que poderia estar deixando pra trás. - Eles não te amam como eu te amo... - ... Mapas... Sentada à beira da cama, com a minha mala ao lado. - Não se afaste. Sou como você. - Eu não vou mudar! Eu saí às pressas, não podia mais ficar. Eu me afastei novamente. Com as malas na mão já no aeroporto. Ela não me acompanhou, não queria me ver partir novamente. Aquele diálogo nunca aconteceu. Ela permaneceu sentada à beira da cama, com a cabeça baixa e o olhar mareado. Ah se soment…

Fogueira

Há alguns anos minha família iniciou uma pequena tradição nossa: fogueira anual! É uma forma nossa de celebrar a festa junina e reunir a família. Todos os anos desde que essa tradição começou eu estive lá, ajudando na preparação e na recepção das pessoas. Porém esse ano não poderei estar presente.
Hoje é o dia que fiquei mais triste de não estar com no Brasil. A fogueira é a minha reunião familiar favorita. Por mais que eu me sinta extremamente cansada no final dela, é sempre uma delícia. Mas esse ano não pude ajudar.
Não ajudei nas bandeirinhas enfeitadas pela casa, na cozinha com as comidas, o quentão e o vinho quente que só minha mãe sabe fazer. Nada de olhar a canjica ou o arroz-doce. Não fiz a pipoca, não fiquei subindo e descendo os andares de casa com as comidas e abrindo a porta para os convidados. Não ajudei a limpar o espaço para colocar a mesa para as comidas. Não belisquei algo enquanto ajudava em alguma coisa. Não me reuni nem conversei com a família e os amigos presente…

[Textos Semanais] Filme - inspirado num sonho

Esse não era bem o texto que eu queria postar nessa semana, queria ter conseguido escrever outro, mas como esse também foi feito essa semana, lá vai!

Essa história surgiu a partir de um sonho que tive uma dessas noites. Parecia muito um roteiro de filme maluco na minha cabeça. A propósito, não é o "filme" inteiro que irei postar hoje, desculpa :(

Filme
Primeiro dia de trabalho de Lucy no seu novo emprego: agora ela é uma analista de suporte na sua antiga faculdade. Ela está com um grupo, fazendo um tour pela área. Com ela estão também os outros novos empregados e alguns visitantes e convidados. A faculdade parece maior ainda do que a última vez que estivera lá, não se lembrava de muitas coisas. Talvez porque nunca precisou delas.

Distraída, Lucy tromba com outro membro do grupo. Desculpa-se afobadamente e ele apenas sorri, dizendo que estava tudo bem. Ao chegar no seu setor, outra pessoa a recepciona e começa a ensinar os básicos de como funciona o help-desk da universidad…

[Textos Semanais] Estórias

Oi povo que lê o meu blog! Como ando deixando o meu hábito de escrever muito de lado ultimamente, resolvi tomar uma atitude: me desafiei a escrever um texto de 500 palavras (no mínimo) por semana. Não tenho um dia exato para terminar, mas de um sábado a outro, em algum dia, eu tenho que ter escrito e postado uma história. Espero que os resultados sejam bons, e mesmo que não sejam, ao menos não deixo de escrever. Aproveitem.
Estórias Olho para as pessoas à minha volta e fico pensando, tentando imaginar quais são suas histórias. Ninguém sabe do mundo do outro, aliás duvido até que nós mesmos saibamos de nosso de verdade. Afinal a vida é questão de ponto de vista. O que soa feliz para uns, pode ser a ruína de outros. Não é preciso pensar muito para chegar nessa conclusão. Moro numa vila estudantil, então tenho muito tempo e muito material para brincar com a minha imaginação. Vejo pessoas novas todos os dias, com histórias novas. Ou invento novas histórias para pessoas velhas.
Olho pela jan…

My Dark Room

I am everybody's sunshine everyday bringing light to the day of the others. But sometimes I need to stop and recharge That's when I run  to you Your arms, my dark room. Where all is black and I don't need to worry a single bit. I close my eyes and allow myself to feel you, feel your love and your dark light. Fulfilling all my needs and wishes, as I do the same for you. That's when my brightest ray shines with all its strength and power. It shines for the one I love the most And that's you. Always will be.

MEH - Desabafo

Estou me cansando das pessoas.
Dos seus jeitos de levar a vida. Da obrigatoriedade de seguir modelos. Da minha necessidade de me encaixar num mundo que sei, nunca será meu. Ao menos não enquanto eu viver. Cansada dos estereótipos. Cansada das pessoas perfeitas. Toda essa experiência social tem me sido muito desgastante e exaustiva. Prefiro me refugiar na solidão, por mais que ela, eventualmente, me causará dor e sofrimento. Mas o que não me causaria? E não tenho coragem de ser diferente, pois não vejo caminho que eu deseja seguir que me seja conveniente (por mais difícil ou fácil que ele pareça). Não tenho coragem de dar um fim rápido a isso tudo - o que de longe não é a solução mais fácil, apesar de ser a mais rápida.
Viver em sociedade é exaustivo pra mim. Não sigo os moldes de relacionamentos que as pessoas esperam. Não vou atrás das pessoas, ao menos não de boa parte delas. Não massageio seus egos, não se eu não tiver verdadeira vontade - e isso independe de eu precisar das pesso…

Desabafo

Feeling like my energy is being drawn away by someone or something. Don't know exactly why. My mind's not here, my body drags itself around and i keep the same face everywhere I go, just not to start more questioning. Not sure of many many things in my life and this thought is driving me crazy.