Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2012

Fora do Polar

Eu não deveria nem estar escrevendo isso aqui, mas senti necessidade de extravasar a minha opinião. Nenhum lugar melhor do que a "minha casa", que só lê quem quer.

Estou indignada com a resposta de algumas pessoas nas minhas redes sociais quanto à derrota do José Serra. Todos estão falando do quanto o povo é burro, que mesmo com o escândalo do mensalão votaram no PT.
Não creio que o povo tenha votado no PT, acho que eles votaram no Hadad.

As pessoas falam e pensam como se a corrupção fosse num partido só. Exclusiva ao PT. Esquecem que a mídia expõe só o que lhe interessa. E esquecem também que apesar de fazerem parte de partidos as pessoas são INDIVÍDUOS.
Posso muito bem votar no Hadad sem gostar do PT, assim como fiz com Geraldo Alkmin sem gostar do PSDB. Pois acredito na PESSOA, nos IDEAIS e PROPOSTAS.
E nessa eleição, como meu amigo disse: não foi o Hadad que ganhou. Foi o Serra que perdeu.
Ficam reclamando do mensalão, mas esquecem de vereadores e senadores roubando milhões…

Emprestado

Hoje trago um poema que um amigo escreveu. Achei tão lindo que resolvi compartilhar. Thanks, Jonathan! :D

"Tu traz uma suave e doce brisa a meus sonhos
Dança com as flores e encanta minha mente
Sorrindo com pureza e fluindo com os rios
Brilhando com os girassois e se mostrando mais forte

Ó musa dos ventos que voa com os dentes-de-leão
Entrega-te a teus ventos e alimenta teus seguidores
Mostra a energia de teu espírito e o calor de teu coração
Mas quando precisar de repouso, aqui estará aquele que te oferece o maior dos amores

Minha linda e preciosa musa dos ventos dançantes
Tu encanta, canta, brilha, dança, sonha, ama
Tens a capacidade de alcançar o mundo com tuas penas brilhantes
Mas antes de tudo, soprou e mudou minha alma"

Inquisição

Me acharam, descobriram!
Meu segredo não tão secreto.

Estão vindo, estão quase aqui.
Pego o que posso, o que consigo
tenho que fugir!

Mataram meu gato,
destruíram meu ateliê.
Minhas flores todas mortas
O que devo fazer?!

Já prepararam a minha fogueira
eles vão me pegar.
Não posso desistir,
não posso parar!

Corra!

Máquina

Já não funciona mais
Liga, desliga, reinicia
E nada. Morte morrida.

Ou será que foi matada?
Inserção de mil informações
Rara verificação dos dados.
Anti-vírus? Nem em sonho!
- as verificações tomariam muito tempo.

Tempo esse que agora me sobra.
Liga, desliga, reinicia, dá tapas.
Espera alguns segundos desligado,
volta a reiniciar.

Ligou! Ah finalmente uma luz.
Ainda travando um tanto,
preciso formatar.
Acabar com todos esses restos.
Desfragmentar, limpar registros.

E o computador humano
volta a funcionar.

Companheiro

Não quero alguém
que ao meu lado
precise estar.

Quero alguém que
quando ele quiser
vai estar.

Não quero alguém
que fique o tempo inteiro.
Quero que tenha o dele,
que tenha o meu,
que exista o nosso.

Que vá,
que volte,
que fique
e vá de novo.

Por favor, não precise, queira estar com alguém.






maybe i've found u.

Cr-i(n)atividade

Ando sem inspiração.
Já não vejo nada de belo
nem horrendo, revoltante
que seja motivo o bastante
para minha mente aguçar.

Estou ficando enjoada
Aquele enjoo de quando respiramos o mesmo ar
durante horas e horas e horas,
E todo o oxigênio virou carbono.

Vou sufocar!

Preciso de novas experiências
novas ciências, tendências.

Novos ares, lares, pares.

Que me façam voltar a escrever.

Inativa. Criativa.