Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

Carta (de desabafo) a um amigo

Estou muito muito muito triste com algumas coisas que tenho notado.
Umas se referem diretamente a você, outras nem tanto.
Faz um bom tempo que não vejo em seus olhos o verdadeiro você. Vejo cada dia mais a máscara que esconde preocupação com um toque de tristeza. Não preciso saber do que está acontecendo, mas quero que você saiba que tudo o que eu puder fazer para te ajudar, estou a disposição.


E existem coisas não relacionadas diretamente a você, que certas vezes me incomodam bastante. Ontem fui embora sem dar tchau pois não aguentava conter as lágrimas de tristeza.
Existem pessoas que tem ciúme de você, e inveja de qualquer outra pessoa que esteja mais próxima de você do que elas. E clamam por atenção. Maldizem pessoas que sequer conhecem. Maltratam discretamente.
Ontem me senti dentro de uma competição por sua atenção. Uma competição que nunca quis, nunca pedi para estar. Então saí, me retirei de uma luta que não é minha, pois isso não sou eu.
E fiquei triste. Triste e desesperançosa com…

Aos pessimistas

Parem de não ver.
O dia poderia ser bem melhor
se olhassem seu redor.

Veria formigas caindo da mesa,
e se prestasse bem atenção
ouviria dos pássaros uma canção.
Não tem pássaros? Tem imaginação.

Respira, não pira.
Não viva na desgraça,
assim até o amor gasta.

doença

Doente de uma doença sem cura.
Uma doença sem fim.
Aguda.

Doente de lucidez. Doente da razão.
Ataca os rins sentimentais,
faz doer o coração.

Doença rara, porém transmissível.
Te faz passar o intransponível.

Os sintomas são aparentes
Olhos brilhantes, reluzentes.

Mas também existem invisíveis
decepção, crises.

Crises essenciais,
existenciais.
Dúvidas, medos
Certezas e desafios.

E assim sigo doente,
até o fim dos tempos

Não posso

Não posso
e não vou.

Estou e vou.
Aqui e lá.

Seguro sua cabeça
e te abraço
pra não te deixar cair.

Te carrego nas costas
até você acordar.

Acordar e ver diferente
tudo aquilo que hoje
te faz doente.

Não vou fraquejar
Vou te segurar
Vou te carregar
até poder andar.

E não ficarei pra trás
quando você se curar.
Estarei ali, sempre,
olhando você continuar.

A menina sorridente
segura a mão
do menino sonhador.