Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

Barco a deriva ou lamento de sereia [nome novo]

E eu vi seu barco partir. Corri tudo o que pude mar a dentro, nadei tudo o que consegui e cheguei a uma pedra. De lá te vi se afastando de mim, de nós. De tudo aquilo que construímos juntos, tudo aquilo que construiríamos. Era o fim, você não queria mais voltar ou que eu fosse junto. Não me sinto abandonada, entendo sua decisão. Só sinto uma tristeza profunda. Poderíamos dar certo, mas não fiz tudo o que pude para isso, eu sei.

07/10/2014

Mal sabia eu que seria melhor que o barco nunca tivesse retornado.
Pois eu discordo. Me sinto brava e ofendida com isso. A contradição está explícita! Como pode não ver? Como pode mentir a si mesmo dessa forma? É injusto, quase cruel com os outros. E não vê. O que te cega? O que te impede de aceitar o óbvio? É um ultraje à inteligência artistica humana. Que crime é ser humano, inafiançável, sob pena de viver em desgraça.

E assim, de sopetão, ela se foi. Olha pra trás de rabo de olho, só para espiar o que ficou. 19/03/2013